MANEJO DE SOLO ORGÂNICO: USO DA ENXADA ROTATIVA E COBERTURA

3 minutos para ler

Uma das principais diferenças da agricultura convencional e orgânica é o manejo do solo. Na agricultura convencional o solo é o local de fixação da planta, ou seja, é considerado apenas como o local de plantio. Enquanto na agricultura orgânica, o solo é visto como o centro de todo o processo produtivo recurso chave e a base de sustentação do sistema. 

Por este motivo no plantio orgânico, evita-se a mobilização excessiva e a compactação do solo, com objetivo de conservá-lo. Práticas de cultivo e preparo do solo que mobilizam demasiadamente o solo não são aceitas,especialmente em área declivosas, pois aceleram o processo de erosão e perda do solo. Assim, uma dúvida bastante comum dos agricultores consiste do uso da enxada rotativa, já que seu uso pode causar alteração nos atributos físicos que modificam a estrutura do solo e também nos atributos biológicos por afetar a atividade microbiana. 

A enxada rotativa é utilizada com objetivo de descompactar e nivelar o solo, aumentando sua aeração e proporcionando um espaço adequado para entrada da água da chuva e para o desenvolvimento radicular, mas como falado ela pode modificar a estrutura e a biologia do solo.  

Assim, uma dica para utilizá-la, reduzindo esses efeitos,é diminuir a velocidade durante sua operação, o que permite que o trabalho de preparo do solo para o cultivo seja realizado da mesma forma, sem afetar tanto o solo. Além da velocidade, outras regulagens devem ser feitas, a enxada rotativa deve ser passada semi-fechada de modo a não se aprofundar no solo, não inverter a camada superior, e não incorporar a cobertura morta. É necessário bastante cuidado e atenção em seu manuseio, pois uma das consequências do mau uso dela pode ser o revolvimento excessivo, o qual promove a destruição dos agregados do solo, acelerando a decomposição e a perda da matéria orgânica.

Outro cuidado essencial no manejo do solo é a cobertura dele. Na medida do possível o solo deve ficar sempre com alguma cobertura, pois mantém a superfície do solo sem formação de crosta, evita a evaporação da água da chuva ou da irrigação; auxilia nas adversidades do clima como chuvas torrenciais, temperaturas elevadas ou muito baixas, desfavorece o aparecimento de pragas e doenças no solo. Para isso, pode ser utilizado a palha, que é uma opção por exemplo desde que a mesma seja produzida no próprio local para respeitar o principio de sustentabilidade. Espécies de adubos verdes, sejam leguminosas, gramíneas ou plantas de outras famílias são outros exemplos de plantas que podem ser utilizadas de cobertura. 

Cuidado no manejo do solo é uma prática indispensável na produção orgânica, pois promove a qualidade do mesmo, ajuda a reduzir os impactos de uma plantação e promove a sua sustentabilidade. E você tem alguma dica de manejo de solo para produção orgânica que gostaria de compartilhar? Mande um email nos contando! (mariane.comiram@innovabio.com.br)

Fontes: Embrapa, Flavia A. de Alcantara e Nuno Rodrigo Madeira, Editora Aprenda Fácil, Guia do Produtor Orgânico, Hosstols.  

Você também pode gostar

Deixe um comentário