Agricultura Orgânica: Saiba como preparar o solo

2 minutos para ler

O bom desenvolvimento das plantas está diretamente ligado às condições biológicas, químicas e físicas do solo, por isso, a preparação da terra é uma das mais importantes etapas do pré-plantio.

Nesta fase inicial de preparação, o primeiro ponto a ser levado em consideração diz respeito às condições locais para proceder ao preparo da terra, que não deve ser realizado com umidade excessiva ou com terreno seco. 

A mobilização da terra é outra importante etapa do pré-plantio. A operação permitirá a infiltração das raízes, do ar e da água. De uma maneira geral, deve-se evitar que as camadas individuais do solo sejam invertidas ou misturadas entre si. Nos casos de camadas superficiais com excesso de adubação fosfatada ou potássica, é interessante a mistura dos primeiros 10 – 20 cm até uns 30 a 40 cm, a fim de diluir e melhor distribuir os nutrientes.

Ainda nesta etapa, destaca-se a relevância do processo de incorporação do solo aos restos vegetais, adubos verdes, calcários e fertilizantes orgânicos. A ação melhora as condições nutricionais da terra e evita a erosão e a degradação de suas propriedades.

FERTILIZANTES ORGÂNICOS DE BASE

A utilização de fertilizantes orgânicos ajuda a manter a estrutura do solo, aumentando a capacidade de retenção de nutrientes. Como consequência, teremos plantas bem nutridas e capazes de suportar, perfeitamente, todos os tipos de stress.

Outra fonte complementar no preparo da terra são os fertilizantes naturais. Esses materiais servem como complemento da matéria orgânica no aporte de elementos fundamentais como o fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e micronutrientes (boro, ferro, zinco, cobre, outros). Para fornecimento desses elementos, dá-se preferência ao uso de farinha de ossos, rochas moídas, semi-solubilizadas ou tratadas termicamente, sendo permitida a correção do solo com calcário.

Ainda para o suprimento de potássio, estimula-se o uso de cinzas vegetais, que também fornecem micronutrientes e podem servir como corretivo de solo. No tocante aos microelementos, a recomendação é incorporar esses minerais por meio da fermentação em soluções com água, esterco e aditivos energéticos, conhecidos como biofertilizantes.


Você também pode gostar

Deixe um comentário